jul 29

1. Planeje antes de comprar

Abandone as compras por impulso. Analise bem se aquela roupa ou acessório servem para você ou se é só uma vontade passageira. Assim você evita perder dinheiro e espaço em seu armário.

2. Ame suas roupas

Cuide-as com carinho. ‘Acidentes’ domésticos provocam pequenos desastres como manchas ou tecidos queimados. Se cair um botão ou tiver que ajustar um pouco, procure uma costureira e veja se há como reparar. Para os mais empolgados, é uma boa hora para aprender a lidar com linhas e agulhas.

3. Evite lavagem a seco

Máquinas de lavagem a seco usam tetrachloroethylene, uma substância cancerígena. Procure lavanderias que trabalhem com “wet cleaning” ou CO2 líquido. Muitas peças que antes eram lavadas a seco já podem ser lavadas a mão, especialmente as de seda, lã e linho. Fique de olho nas etiquetas. Se você preferir recorte as orientações e cole em um pequeno caderno ou guarde em uma caixinha para conferir quando precisar.

4. Compre peças antigas ou usadas

Use a criatividade e tenha um estilo próprio. Busque em bazares, feirinhas, brechós, troca de roupas entre amigas. Vale tudo. Se tiver roupas ‘herdadas’ que possam ser interessantes, aposte. Acessórios antigos sempre funcionam Tenha cuidado para ver se tudo está ok. Peças antigas ou usadas podem estar danificada pelo tempo ou pelo uso. Dependendo, uma reforma resolve e ainda sobra espaço para uma boa customizada.

5. Lave bem

Tenha cuidado para não desperdiçar energia. Junte bastante roupa antes de lavar, para economizar na água, luz e sabão. Procure usar a temperatura mais baixa possível. Opte por alternativas naturais na remoção de manchas nos tecidos e produtos que sejam livre de fosfato e biodegradáveis. Se estiver procurando por uma lavadora nova, verifique se possui selo de economia energética (no Brasil, do Inmetro). A mesma dica vale para os ferros elétricos. Read the rest of this entry »

nov 1

O projeto do deputado Antonio Félix (PPS)  torna obrigatório o uso de sacolas plásticas biodegradáveis nos supermercados e estabelecimentos comerciais do Piauí com objetivo de reduzir a poluição nas cidades e inundações dos rios, está em tramitação na Assembléia Legislativa. Na Comissão de Constituição e Justiça a deputada Lílian Martins (PSB) foi indicada relatora da matéria.

A finalidade é tornar obrigatória a utilização de vasilhames degradáveis, no acondicionamento de produtos e mercadorias, hoje feito em sacolas plásticas. Os novos produtos evitariam a  agressão ao meio ambiente. Depois da aprovação da matéria as empresas terão um prazo de um ano para substituir as sacolas plásticas pelo novo modelo com informações necessárias ao consumidor.

O descumprimento da nova lei, se aprovada e promulgada, implica em advertência, multa, suspensão temporária da atividade ou cassação da licença do estabelecimento comercial. As atuais sacolas plásticas além de causar prejuízo ao meio ambiente levam até 450 anos para se deteriorar conforme estudos e pesquisas científicas já existentes. No mundo é consumido um milhão de sacolas plásticas, por minuto. Isso representa 1,5 bilhões por dia e mais de 500 bilhões anualmente.

É o produto que mais causa poluição e entope rios, provocando inundações. No Brasil os supermercados utilizam um bilhão de sacos plásticos por mês, ou 33 milhões de unidades diariamente e 12 bilhões todo ano. Calcula-se que 80% dos sacos plásticos são usados pelo brasileiro apenas uma vez.

Só no Paraná são utilizadas mais de 1 bilhão de sacolas por mês, portanto, imagine no Brasil inteiro.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mais de um milhão de toneladas desse produto viram lixo nos aterros sanitários e são encontrados nas praias. Onde não existe coleta seletiva o saco plástico agride ao meio ambiente. O Brasil produz 210 mil toneladas de plástico filme, e isso representa 10% do lixo do País.

Este acúmulo Causa prejuízo e obstrução de galerias, provoca enchentes em áreas urbanas  e desabriga famílias, causando doenças as famílias de baixa renda.

Mais um político consciente, preocupado com o seres do amanhã.

Enquanto isso em Maringá … não vote em político que faz lei imbecil de mudar nome de rua, não vote em político que comprou laptop superfaturado, não vote em político que não comparece às sessões.

Obrigue o político em que você votou a fazer leis que beneficiem a população e não o seu – o dele – bolso.

Cidade a cidade, estado a estado, nosso projeto de lei está sendo sancionado. Em algumas cidades estã sendo feito em forma de decreto, tal a importância desta lei.

Não nos deixe trabalhar sozinhos, pegue uma cópia de nossa lei e distribua para vereadores e deputados, cobre esta lei em sua cidade e estado, faça seu político trabalhar.

Nós iniciamos esta jornada em 2005 e agora está rendendo frutos, mas a luta é árdua, temos muito ainda que fazer e se você nos ajudasse seria mais fácil, o trabalho seria distribuido entre mais pessoas, o fardo não seria tão pesado.

Então, um dia por semana falte no seu jogo de bola, deixe de assistir novela e passear em shopping e vá fazer uma visita ao vereador ou deputado em que você votou e faça pressão para que ele apresente o projeto de lei para desplastificar o planeta.

O planeta agradece.

Os nossos filhos e netos agradecem.

fonte: Funverde

out 5

Já se foi o tempo de usar sacolas plásticas para trazer as compras do supermercado. Hoje em dia, quem é descolado e pensa no meio ambiente, usa as ecobags, que são bolsas e sacolas ecologicamente corretas, feitas de algodão e criadas por estilistas e marcas brasileiras. Que hoje já conquistam o mundo.

Quando a estilista brasileira, Anya Hindmarch, idealizou uma sacola ecologicamente correta, “I’m not a plastic bag”, foram vendidas 20 mil unidades em minutos em Nova Iorque.

Hoje, já existem centenas de modelos e diversas marcas de ecobags disponíveis à venda no mercado.

Então, faça a sua parte, ajude o planeta, troque já suas sacolas pláticas por ecobags!

mai 26

Fonte: uol

nov 27

Não-tecido é um tipo de tecido técnico.

Definição

Conforme a norma NBR-13370, não-tecido é uma estrutura plana, flexível e porosa, constituída de véu ou manta de fibras ou filamentos, orientados direcionalmente ou ao acaso, consolidados por processo mecânico (fricção) e/ou químico (adesão) e/ou térmico (coesão) e combinações destes.

Read the rest of this entry »

nov 11

Jacquard é o nome dado a padronagens complexas de entrelaçamento, tanto em tecelagem como em malharia em jersey duplo (no caso de jersey simples, chama-se entarcia).

É tido como complexo tudo aquilo que (no caso da tecelagem em cala) teares maquinetados não conseguiriam fazer.

Read the rest of this entry »

set 15

Lona é um tecido de uso intensivo utilizado na confecção de velas, tendas, toldos, mochilas e outros produtos onde a resistência seja necessária. É também utilizada popularmente como superfície de pintura e usada na confecção de bolsas.

Etimologia
A palavra lona provém do nome da cidade francesa de Olonne, situada na Vendéia, vale do Loire, onde ela era produzida.

Read the rest of this entry »

« Previous Entries