out 27

A onda de calor que varreu o oeste da Rússia, no verão de 2010, fez com que as temperaturas de Moscou chegassem a 40ºC. A condição sufocante do clima gerou uma série de incêndios florestais e devastou as lavouras de trigo do país. Como as autoridades russas ordenaram a suspensão da exportação do trigo, o valor mundial do alimento chegou a subir 30%, e também causou efeitos nos mercados de soja e milho. Essa experiência avassaladora com a produção do trigo serviu de lembrete de como o sistema mundial de alimentos está sujeito às variações do clima.

Questões como essa, que envolvem clima e agricultura, estão presentes no relatório “Estado do Mundo 2011 - Inovações que Nutrem o Planeta” (em inglês), divulgado no início do ano pelo Worldwatch Institute (WWI). A publicação agora foi traduzida para o português, pelo Instituto Akatu.

A publicação destaca 15 projetos sustentáveis de especialistas em agricultura e inovações, em um guia de como ter aumento de investimentos no setor agrícola e formas eficientes de minimizar a fome. “O progresso demonstrado neste relatório irá prover informações aos governos, formuladores de políticas, ONGs e doadores que tentam frear o avanço da fome e da pobreza, fornecendo um guia claro para expansão ou replicação destes sucessos em qualquer lugar”, afirmou o presidente do Instituto Worldwatch, Christopher Flavin.

Um projeto em destaque é o cultivo de alimentos por crianças em idade escolar, uma estratégia eficaz de redução da fome e da pobreza em nações africanas. Além disso, tal modelo possibilita a redução do desperdício e a oportunidade de famílias economizarem dinheiro.

Outro exemplo dado é na área de inovação tecnológica: pastores da África do Sul e do Quênia preservam variedades de gado adaptadas ao calor e seca das condições locais. Essas características são cruciais conforme os extremos climáticos pioram no continente, já que a África tem a maior área mundial permanente de pastagem e o maior número de pastores, com cerca de 15 a 25 milhões de pessoas dependentes do gado.

Em termos gerais, a publicação mostra que as questões agrícolas mundiais vão muito além do problema imediato da fome e precisam de especial atenção. O documento foi produzido pelo projeto do WWI, “Nutrindo o Planeta”, que teve acesso sem precedentes às maiores instituições agrícolas de pesquisa internacionais, assim como agricultores locais e sindicatos agrícolas.

Fonte: http://www.ecodesenvolvimento.org.br



out 20

Competições do esporte em Guadalajara começam na quarta-feira

Daniel Hernandes, que foi ouro dos pesados no Pan de Santo Domingo 2003, contra Rafael Silva, de azul, que pode conquistar a centésima medalha do judô em Pans.

Na quarta-feira (26), o judô brasileiro abrirá suas competições em Guadalajara pensando em chegar à centésima medalha em Jogos Pan-Americanos logo na primeira rodada, que terá Luciano Corrêa (100 kg), Rafael Silva (+100 kg) e Maria Suelen Altheman (+78 kg).

Rafael Silva, que luta por último, pode conquistar a medalha histórica para o país.

Em seu primeiro Pan, é o terceiro pesado do Brasil em três edições. Em Santo Domingo 2003, Daniel Hernandes ganhou ouro e no Rio de Janeiro 2007 João Gabriel Schlittler foi bronze.

Para Rafael, a marca da centésima medalha para o judô é importante e será muito especial se conseguir conquistá-la.

- O Pan é a Olimpíada do nosso continente e um onde podemos sentir um pouco como é todo o clima que cerca um evento desse nível.

O judoca também destaca que ser disputado na reta final do Pan é positivo para o esporte.

- Eu achei ótimo. Pude manter o ritmo de treinamento e vou chegar muito bem preparado. Se tivesse de ficar alguns dias esperando na Vila para lutar com certeza ficaria ansioso. Read the rest of this entry »

out 13

Por Karla Precioso

Assim como as roupas, eles também envelhecem. Após algum tempo de uso, a aparência e o conforto dos sapatos dependerão de como eles foram conservados. A escolha do sapato na hora da compra também determina a durabilidade. Um sapato apertado demais será gasto mais depressa, por causa da pressão que o material vai sofrer no ponto em que dói. Por outro lado, um sapato bem limpo, consertado ao primeiro sinal de estrago e conservado com produtos adequados, terá maior vida útil. Aprenda a deixar seus sapatos bonitos e conservados por muito mais tempo.

9 tipos de material e como cuidar de cada um Read the rest of this entry »

out 7

Por Ricardo Zibas*

A KPMG International, em conjunto com a Economist Intelligence Unit, divulgou recentemente um estudo sobre a importância da sustentabilidade dentro do ambiente de negócios e a atitude dos executivos em relação ao tema. Esta pesquisa global entrevistou 378 gestores de empresas em uma série de indústrias, abrangendo a América do Norte, Europa, Ásia, Oceania, América do Sul, África e Oriente Médio. Cerca de 40% das organizações pesquisadas possuem receita anual superior a US$ 1 bilhão.

Como principais tendências identificadas pelo estudo, podemos citar:

· Nos últimos três anos, o tema sustentabilidade subiu em prioridade na agenda corporativa: 62% dos respondentes possuem uma estratégia específica para o assunto, em comparação aos 50% que a possuíam em fevereiro de 2008, data da pesquisa anterior;

· Os drivers principais foram ampliados: apesar de as exigências regulatórias, reputação da marca e gestão de risco continuarem sendo motivos extremamente relevantes para a adoção de uma estratégia em sustentabilidade, a necessidade de redução de custos passou a aparecer em destaque, principalmente para a questão ambiental, por meio da economia de recursos e energia;

· A sustentabilidade está sendo vista como fonte de inovação: 44% dos executivos concordam que ela gera condições para a inovação, e 39% a vêem como fonte de oportunidade de novos negócios;

· As empresas estão cada vez mais se ocupando em medir e reportar a sua performance em sustentabilidade: 36% realizam reportes públicos anuais de suas informações de sustentabilidade, e 19% planejam fazê-lo no próximo exercício fiscal. Os maiores desafios para o reporte continuam sendo a geração dos dados e o estabelecimento de benchmarks;

· As empresas desejam contar com um sucessor para o Protocolo de Kyoto: dois terços dos executivos entrevistados consideram crítica e muito importante a adoção de um novo marco regulatório para suceder o primeiro período de compromissos, que expira em 2012.

Para exemplificar a adoção das estratégias de sustentabilidade citadas, convém destacar o uso de planejamento de cenários para a definição de riscos e oportunidades; a colocação de metas ambiciosas para liderar por meio de exemplos; a medição dos dados ambientais e sua relação com a produtividade dentro do negócio; o estímulo ao engajamento dos funcionários e da cadeia produtiva; a aplicação das lições aprendidas internamente em produtos e serviços externos; a exploração dos “efeitos colaterais” da sustentabilidade; e o uso de benchmarks e reporte contínuo do progresso das ações.

Assim, uma das conclusões da pesquisa é que o assunto “sustentabilidade” deixou de ser privilégio de uns poucos iniciados ao tema e virou mainstream. Entretanto, os executivos são unânimes em apontar a necessidade do desenvolvimento de padrões e definições que possam ser aplicadas em um grande número de indústrias e ampliadas para os seus fornecedores. Aliás, este parece continuar sendo o grande desafio: como comparar, analisar e reportar corretamente os dados e iniciativas de sustentabilidade.

* Ricardo Zibas é gerente sênior da área de Sustentabilidade da KPMG no Brasil

Fonte: www.reporterdiario.com.br